Objetivos e Metas Financeiras

Miguel Moletta /// setembro 09, 2020 /// 18:00hs

Objetivos Financeiros

O objetivo principal em finanças está consolidado na geração de riqueza, ou seja, aumentar o patrimônio da entidade, principalmente patrimônio que possua a característica de fácil liquidez.

Dependendo da situação econômicas das entidades os objetivos podem ser outros que depois de alcançados incorporam o objetivo principal acima, dentre os demais objetivos possíveis destacamos:

a) Preservação de uma situação financeira, de uma riqueza já alcançada

Numa economia instável ou em recessão manter uma situação financeira é uma tarefa difícil e tentar melhora-la pode levar a investimentos de alto risco e retorno não condizente, por isso, usa estratégia para não perder riqueza é uma opção recomendada até a melhora do mercado e da economia.

Dependendo da situação esse objetivo é mais difícil do que o de gerar riqueza e requer muito mais dedicação e esforço.

b) Recuperação da situação financeira, de uma riqueza perdida, num momento de crise.

Esse é um objetivo que mais demanda esforço, na maioria das vezes a opção é baixar a cabeça e trabalhar alinhando a ações de economia, poupança e pechincha. É acordar cedo, economizar no que for possível gastando só o essencial, guardar dinheiro principalmente em aplicações de renda fixa que tenham baixo risco, baixa volatilidade e que pelo menos ganhe da inflação e pechinchar muito, o máximo possível, garimpando descontos e promoções.

Essas ações vão ajudar na recuperação financeira e quando houver uma estabilidade e um patrimônio relativamente bom, partir para preservar e gerar mais riqueza.

c) Planejar o futuro

Em finanças o objetivo de planejar o futuro está relacionado a geração de riqueza para garantir uma tranquilidade profissional ou acadêmico, recomenda-se um planejamento de longo prazo em poupança, buscando investimentos mais agressivos, mas que contenha uma certa segurança, não se pode pensar em ganhar no curto prazo.

O administrador financeiro tem que levar em consideração que não importa o objetivo, o que importa é que a gestão em finanças seja coerente com o objetivo, sejam pessoais ou organizacionais, tendo como função a compreensão do conjunto de atividades relacionadas a essa gestão, quais sejam, de investimento, de financiamento e a destinação do lucro.